Início > Outros > Viagem à Santa Catarina

Viagem à Santa Catarina

Entre os dias 10, 11 e 12 de Dezembro estive em Santa Catarina, com Sandro Lourenço, Ideraldo e Felipe Fleixeira.

Abaixo transcrevo uma matéria sobre essa viagem publicada no site da Aliança Missionária de Discípulos e também um texto escrito por Sandro Lourenço.


Santa Catarina em suas mãos!

familia-santoscuritiba-2 A tragédia que assolou Santa Catarina arrasou encostas, transbordou rios e deixou um saldo, segundo a Defesa Civil, de quase 80 mil desabrigados, mais de 100 mortes, 26 desaparecimentos e afetou a vida de 1,5 milhão de brasileiros. Mais de 33 mil pessoas ainda não conseguiram voltar para suas casas em todo o estado.

Entre as cidades mais atingidas pelas chuvas estão Blumenau e Benedito Novo. E foram nestes lugares que Sandro Lourenço, Ideraldo Assis, Anderson Paz e Filipe Flexeira passaram dois dias especiais. “Entendemos que deveríamos servir estas pessoas com mantimentos naturais e espirituais”, conta Sandro.

img_7719

A idéia surgiu quando as notícias da tragédia em Santa Catarina começaram a ser veiculadas nos meios de comunicação. Com isso, vários irmãos sentiram-se encorajados a agir e então procuravam Sandro. “Além de interceder pelos Catarinenses,  começamos a orar para que o Senhor nos desse uma direção clara de como entrar no estado e ajudar um grupo específico de pessoas”, explica. Enquanto oravam sobre um caminho, receberam um e-mail da AMD incentivando a igreja a interceder pelo estado, com um e-mail anexo de um irmão chamado Hamilton, de Rondônia. Ele pedia oração não apenas por Santa Catarina, mas especificamente por seus pais em Blumenau. “Quando vimos isto, entendemos que era a porta que Deus estava abrindo para nós. Entramos em contato com ele e obtivemos maiores informações. A partir daí, ficou totalmente configurada nossa viagem, pois Hamilton contatou Vanderlei, em Blumenau, e Valdo, em Benedito Novo, que ficaram a nossa espera”, lembra Sandro. Ele explica que o objetivo maior desta primeira viagem foi cooperar com as pessoas que Deus direcionasse e estabelecer contatos para uma nova investida no dia de Natal. “É o momento para impactá-los, demonstrando na prática o amor de Jesus, utilizando esta data que a sociedade tanto valoriza”.

Sandro lembra de histórias impressionantes que ouviu de pessoas que perderam tudo ou quase tudo na tragédia. “Encontramos pessoas abaladas emocionalmente e espiritualmente. Vimos nisto uma oportunidade para anunciar o Reino de Deus e nos sentimos responsáveis por isto”. O carinho com que foram recepcionados também impactou os “visitantes”. “Saí de lá com a certeza de que havíamos sido recebidos não apenas na casa, mas também no coração desses irmãos”, revela Anderson Paz. Para Ideraldo Assis, “as fotos não podem retratar os olhares e as palavras de quem literalmente ‘escancarou’ os corações para nós”, lembra. Filipe Flexeira conta que a experiência reavivou nele a ordem de amar ao próximo. “Deixou patente a necessidade que tenho de doar mais, crescer mais, entregar um pouco mais para a glória do Senhor”.

Muitas portas foram abertas para futuras viagens que já estão sendo planejadas pela igreja. Sandro explica que estabeleceram relacionamento com irmãos que estão sem congregar e que eles se colocaram a disposição para ajudar nesta empreitada. As famílias que visitaram também são uma das portas. Além disso, fizeram contato com uma Assistente Social que vai apontar 54 famílias diretamente ligadas a seu trabalho para que a igreja possa cooperar. “Através destas portas levaremos o Reino de Deus”, revela.

Sandro afirma que a igreja é a única esperança da terra e diz que esta é uma honra, mas também uma responsabilidade, pois Jesus vive em nós e através de nós (Cl 01:27). Por este motivo, ele diz que sua expectativa é que a igreja se mobilize para ofertar financeiramente e com donativos como de higiene pessoal, fraldas, absorventes, alimentos não perecíveis, enlatados em geral, biscoitos, leite, água. Sem esquecer, é claro, da oração e intercessão de todos. Aqueles que se sentirem chamados para ofertar também o seu tempo e serviço em Blumenau, a maneira mais correta é procurar os missionários Dinho ou Paz até o dia 17 de dezembro e dar o seu nome. A liderança está planejando a data certa para ida e volta, mas já tem algumas confirmações. “Estaremos lá entre os dias 24, 25 e 26 de dezembro. Depois de colhermos todas as ofertas esperadas e sabermos quantos voluntários teremos, fecharemos nossa programação”. Ainda segundo Sandro, a idéia é juntar o maior número de pessoas em um local ou nos distribuirmos em localidades com certo ajuntamento de pessoas na noite do dia 24, a fim de ensinar às pessoas o verdadeiro impacto da encarnação do Verbo, Jesus Cristo, o Senhor. “Depois disso iremos confirmando nosso trabalho”, revela e conclui: “Todos podem e devem ser participantes desta missão, todos têm a oportunidade de ajudar”.

“Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros” (Jo 13:35). “Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas de fato e de verdade” (1 Jo 03:18).

Santa Catarina, por Sandro Lourenço

Chegamos em Blumenau na quarta-feira à noite e fomos amorosamente recebidos e hospedados por um casal de irmãos, Vanderlei e Terezinha, com seus filhos Nathan e Agatha.

Na quinta-feira, saímos pela manhã e atendemos a colega de trabalho do Vanderlei. À tarde, visitamos as famílias que eram ligadas ao Alexandre, amigo de Luiz Cláudio. Assistimos três famílias neste lugar e três pessoas confessaram Jesus. À noite, tivemos um jantar muito especial na casa de Vanderlei e Terezinha, com a presença da família de irmãos Davi, Elisângela e seus filhos Jonatas e Sara. O Espírito Santo ministrou muitas coisas nesta noite. Davi e Elizângela abriram suas casas para nos recepcionar na próxima viagem. Estas duas famílias estão empenhadas em cooperar conosco no que estiver a seu alcance.

Na sexta-feira, procuramos os pais do Hamilton, mas não os encontramos em casa. Eles estavam em Itajaí. Depois atendemos a filha da madrasta do Vanderlei, que é cristã. Em seguida, encontramos a Silvana, Assistente Social que nos forneceu contato com 54 famílias que ela trabalha. À tarde, depois de termos mais um tempo de bate-papo e de nos despedirmos dos irmãos que amorosamente nos hospedaram, Vanderlei, Terezinha e seus filhos, partimos para Benedito Novo, onde fomos recepcionados pelo casal Valdo e Eliane e seus filhos Milena e Timóteo. Lá, tomamos um café especial com esta bela família, fortalecemos nossa comunhão e nos comprometemos a estar juntos de novo. De lá, partimos de volta para Curitiba.

Sandro Lourenço

Anúncios
Categorias:Outros
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s